Buscar
  • Joana C.

O trauma na pandemia do coronavírus

Olá caros leitores, segue abaixo a resenha da psicanalista Andrea Mongeló sobre o livro de Joel Birman. Aguardamos seu comentário!


Joel Birman, em seu livro O trauma na pandemia do corona vírus, escrito “a quente” – o que pode ser um risco, mas do qual ele não se furta – nos apresenta reflexões para entendermos as diversas dimensões do trauma a que estamos submetidos com a pandemia. Mas, além disso, eu diria que é um livro documental.

Encontramos nele aspectos sociais, políticos, econômicos, culturais e científicos desse momento, analisados pelo autor de forma que ao ser lido posteriormente, permitirá ao leitor compreender de forma ampla o que estava acontecendo no país e até mesmo no mundo.

É um livro que interessa a profissionais da área psi? Sem dúvida! Birman discute a dimensão psíquica da pandemia e seus efeitos, fazendo uma leitura psicanalítica desta.

No capítulo intitulado A bolsa ou a vida, retoma conceitos como recusa (Verneinung) apontando para o quanto a partir do uso dessa, o imperativo ético da vida foi abandonado, se impondo o sadismo e a crueldade, da parte de muitos governantes, que vislumbram apenas ganhos políticos.

Em outro capítulo, aborda o custo, principalmente em relação a economia psíquica e corporal, das regras de distanciamento, para nós, indivíduos do Ocidente, que fomos socializados de maneira diversa, sem tantas limitações “para o exercício de nossas liberdades no campo do psiquismo”. Abordando no capítulo Cartografia sintomática, as diversas formações sintomáticas, destinos do trauma e da angústia a que o psiquismo foi submetido.

É um livro de um psicanalista, mas que interessa a todos que se sentem instigados a pensar sobre esse tempo que vivemos.


Andréa Mongeló - Psicanalista









10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo