Há sofrimento na pedofilia? O pedófilo reconhece algum saber no analista a ponto de constituir demanda de análise? Quais as implicações subjetivas entre a fantasia pedófila e a passagem ao ato? Há diferenças entre a posição do pedófilo e a do abusador? Qual a responsabilidade do analista na condução desses tratamentos? E ainda, como lidar com a repulsa face à encenação de um gozo que, por vezes, busca fazer do analista cúmplice de montagens perversas? O autor pretende avançar nessas indagações com o objetivo de situar as contribuições da clínica psicanalítica nessa discussão.

Ensaios sobre pedofilias

R$ 32,00Preço